Querer ser a única voz da razão não é atitude de líder.

Gestão
21 de janeiro de 2020

A comunicação humana é nossa capacidade cognitiva mais preciosa. É um processo que nunca para de evoluir.

Os líderes, dentro dos grupos em que atuam, não têm para onde correr: conciliam interesses e transmitem instruções o tempo todo aos seus liderados. E só conseguem fazer isso de fato comunicando-se consciente e precisamente.

É um desafio e tanto.

Obter atenção plena para a comunicação começar a acontecer não é fácil. Ela precisa ser atraída e sofre para emergir em um cotidiano saturado de informações, interesses pessoais e distrações do mundo hiperconectado.

várias técnicas de oratória, escrita e de persuasão que podemos aprender e pôr em prática. A tecnologia é um coadjuvante importantíssimo se bem utilizada.

Mas nenhuma abordagem específica, nem todas elas juntas, entrega pronta a verdadeira finalidade de uma comunicação efetiva. Que é conectar, criar vínculo e estabelecer confiança. E é principalmente substituir o convencer pelo conquistar.

Falar importa. Escutar transforma.

Todo mundo quer atenção. Queremos ser ouvidos, considerados, respeitados. Cada um sabe das suas limitações e dificuldades. Cada um tem uma trajetória de vida única e expectativas motivadoras. Impossível saber de todas essas particularidades em grupos heterogêneos, que são a regra nas organizações.

Mas existem disposições que conseguem atingir um universo inteiro de pessoas e contextos diversos. A honestidade no falar, a vontade genuína de escutar e o não julgamento prévio vão dar forma ao que podemos chamar de comunicação empática. O líder que pretende transformar e engajar não pode prescindir dessa habilidade.

Tem que ser verdadeiro.

Escutar não é estar apenas com os ouvidos abertos, esperando a vez de falar para proferir uma decisão já tomada. Na maioria dos ambientes corporativos há regras, resoluções e protocolos rígidos necessários ao funcionamento. Já em diversos outros negócios, a espontaneidade, o espaço para ideias e a colaboração são a tônica.

Em ambos os casos são as pessoas que fazem o trabalho acontecer. São elas que compartilham porquês e que buscam sentir-se parte de um objetivo claro e comum.

A comunicação bem conduzida pode fazer isso. E muito mais.

Há muito o que refletir sobre o processo de comunicação nas empresas. As novas abordagens, as teorias e conceitos mais apropriados para cada caso, o impacto da tecnologia… Por isso quero convidar todas e todos a acompanharem os próximos artigos aqui no blog que terão esse tema como foco.

Obrigada por lerem até aqui e agradeço sempre, de coração, os comentários, sugestões, ideias divergentes, referências e tudo o mais que contribuir para enriquecer as discussões.

Photo by Icons8 Team on Unsplash

Compartilhe!

Contato

Fique à vontade para perguntar, tirar dúvidas e pedir detalhes dos nossos serviços. Será um prazer desenvolver soluções de resultado para sua empresa ou carreira profissional.